Notícia

Conferência IOT

A UNITEL realizou no dia 16 de Dezembro, a 2ª Conferência sobre a Internet das Coisas. Fórum para debate e reflexão sobre as tendências da IOT no mundo e o seu enquadramento no mercado angolano.

O certame que juntou numa mesma plataforma online em 4 painéis, 4 moderadores e 11 oradores nacionais e internacionais, para analisarem temas como: Tendências da IoT em 2022, Sustentabilidade Ambiental e Social, Os Principais Desafios da Implementação da IOT em África e O Impacto da IoT na Produtividade e no Crescimento Económico.

O Director Nacional para as Telecomunicações e Tecnologias de Informação do MTTICS, Matias Borges, convidado a abrir a actividade, enalteceu a iniciativa da UNITEL, por uma vez mais promover o debate a volta da IoT.

Acreditamos que esta conferência criará oportunidades para actuação dos gestores públicos e privados na implementação de soluções para a transformação digital no País”.

E o Director Geral da UNITEL, Miguel Geraldes, em breves considerações voltou a enfactizar o trabalho desenvolvido pela empresa no sentido de ser o grande percursor desta tecnologia em Angola, funcionando como ponte entre o consumidor e os vários futuros provedores da Internet das Coisas.

Para além da promoção deste novo paradigma e criação de um ecossistema, a UNITEL está a posicionar-se como um alicerce da Internet das Coisas em Angola, através da implementação do 5G e expansão das redes 4G em fase de aceleramento, aliando a estratégia comercial que pretende em primeira instância facilitar a implementação do IoT a nível empresarial”, disse.

A Conferência teve no primeiro painel a análise das tendências da IoT em 2022, com os oradores António Nunes, da Angola Cables e Amilcar Safeca, Administrador e Director Geral Adjunto da UNITEL, que olharam para as inúmeras vantagens da IoT para as sociedades e defenderam a implementação de uma rede estruturante de base.

“Os objectos associados ao IoT poderão ganhar uma certa inteligência ou permitir a gestão indirecta a longa distância, tornando-os mais eficientes”, disse Amilcar Safeca.

O que vai acontecer efectivamente é que vamos potenciar significativamente a base de clientes da internet, conectando as pessoas e as coisas”, frisou António Nunes.

Para o Administrador Amilcar Safeca, a implementação do IoT para algumas utilizações, como a agricultura e a segurança aeronáutica não precisa obrigatoriamente da tecnologia 5G, apenas de redes de baixa potência especificas para interligar os equipamentos.

No segundo painel em que se abordou os principais desafios da implementação do IoT em África, Guevara Cruz, Vice-Presidente da Fundação Smart City de Cabo Verde, partilhou as experiências de um sistema implementado no arquipélago, que visa alertar as populações locais com SMS telefónica sobre situações de risco ou catástrofes naturais. Uma inovação que o orador enquadrou nas chamadas cidades inteligentes.

No mesmo painel o Director Geral da UNICANDA, Pedro Freudenthal, trouxe explicações do uso da tecnologia nas actividades da fazenda. Segundo o gestor, a fazenda em Malanje, já tem conectado os equipamentos de cultivo em comunicação com os satélites e a Internet. “Está a gerar imensos benefícios”, afirmou.

Questionados sobre a implementação do IoT em Africa, os oradores foram unanimes em afirmar que se precisa criar uma boa conectividade, capacidade e velocidade de internet, para daí se obter respostas satisfatórias para a Internet das Coisas.

​Para N’silu Ferreira, Director de IP e Transmissão da UNITEL, são grandes os desafios do continente, mas que podem se tornar numa oportunidade para a implementação do IoT.

Todos os desafios são apresentados com necessidades e creio que não há desafios que não dão oportunidades de se transformar em negócios para o desenvolvimento do País”.

E no terceiro painel, com uma única representante, Maria Pinto, responsável da IMB para África Austral, falou do Impacto do IoT na produtividade e no crescimento económico.

Segundo a oradora, a industria 4.0 já começou a emergir e será a era da indústria inteligente. “A tecnologia IoT está a florescer rapidamente em todos os sectores e áreas de negócios. A ligação de tudo está a transformar a forma como o mundo funciona, à medida que milhões de dispositivos interligados prometem casas, transporte, e cidades mais inteligentes”

O certamente terminou com o quarto painel que olhou para a questão da Segurança IoT em 2021: Uma perspectiva empresarial, onde o Director de Fraude e Segurança da UNITEL, José Sobreira, apontou a segurança como factor imprescindível na implementação do IOT.

“É preciso ter em conta o crescente número de usuários de IoT no mundo que se estima em 4 biliões; mais de 9 biliões de dispositivos inteligentes conectados (2030 serão 27,8 biliões), mais de 25 biliões de aplicações na IoT para processamento de dados de informação, 50 triliões de gigabytes processados e 4 triliões de dólares em oportunidade de receitas empresariais”.

A UNITEL tem vindo a trilhar o caminho da IoT desde 2017, altura em que organizou a primeira competição com participação das Universidades do País e nesta 2ª conferência juntou distintas personalidades para debate e mais de 500 pessoas a assistir nos canais disponíveis, a plataforma digital preparada para o efeito e nas redes sociais da UNITEL.

Revê a conferência na página institucional da UNITEL no facebook CLICA AQUI

A UNITEL é o Futuro!