Notícia

A Minha História na UNITEL Ladislau Soares

Conhece Ladislau Soares, o licenciado em Relações Internacionais que há 20 anos trocou a promissora carreira desportiva na modalidade de Hóquei em Patins, pelo desafiante mundo das telecomunicações.    

Ouvi falar do projecto UNITEL e da existência de vagas por intermédio de um amigo e colega do curso de Administração Pública, no Instituto Médio de Economia de Luanda (IMEL).

Nessa altura, dedicava-me a carreira desportiva como jogador sénior de Hóquei em Patins na equipa do Petro de Luanda.

Concluído o processo de testes psicotécnicos e entrevistas, conduzidos pela empresa Odete Fachadas Consultores, abracei um grande desafio, talvez o maior na altura, que foi a formação realizada no Hotel Trópico em Luanda.

Foi um processo intenso, desafiante e muito rigoroso que durava o dia todo, com muitas fases de avaliação.

Na época foi possível interiorizar a seriedade e o compromisso que a UNITEL teria com os seus Clientes e com os processos internos. Era a certeza de que a empresa tinha a missão bem definida de liderar o mercado, com serviços e produtos de excelência e mudar para sempre a vida dos angolanos e não só.

A minha história na UNITEL começou em Abril de 2001, por ocasião do lançamento comercial e abertura da 1ª Loja de Clientes.

Entrei como Assistente de Call Center, éramos uma equipa de pouco mais de 20 Colaboradores, divididos em 2 turnos, sob a coordenação do Gilberto Agostinho (de feliz memória).

Fazer parte da 1.ª equipa foi desafiante, pois tal como eu muitos estavam a viver a primeira experiência profissional.

Trabalhávamos numa apertada sala de reuniões na Bróz Tito, onde atendíamos os telefonemas dos Clientes em telemóveis de marca Ericsson modelo T10. E como a UNITEL sempre foi uma empresa muito dinâmica, pouco tempo depois começou um processo de ampliação das infraestruturas e mudamo-nos para uma sala maior com melhores condições de trabalho e já com computadores.

No Call Center, aprendemos a base que nos moldou como profissionais e nos deu uma visão abrangente do negócio. Permitiu-nos sonhar e pensar em outras formas de contribuir para o crescimento da empresa.

Criar processos, procedimentos, buscar soluções, partilhar situações, era o nosso dia-dia. Foram vários momentos marcantes que nos levaram a crescer, a conhecer novas realidades e a viver novas experiências que de certa forma uniu não só as equipas do Call Center, mas de toda a empresa.

Meses depois, recebi o primeiro grande desafio profissional, que foi estruturar a área de Assistência Técnica, cujo principal objectivo era tratar das reclamações dos Clientes com equipamentos avariados.

Com novo horário de trabalho, maior responsabilidade e temas novos, tive de escolher entre as maravilhosas partidas e adrenalina do Hóquei em Patins e os desafios do apaixonante mundo das telecomunicações.

Ao final de 2 anos, decidi focar-me exclusivamente à UNITEL e abandonar a carreira desportiva.

Com o crescimento e a dinâmica a que estamos habituados na UNITEL, foram surgindo novas áreas e Direcções e com estas outras oportunidades na carreira.

Passei por várias áreas onde tive privilégio de ser o fundador, nomeadamente: Direcção Comercial, liderada na altura por Henriques da Silva, e depois o Departamento de Clientes com o Humberto Mbote.

Neste Departamento, trabalhei na Secção de Atendimento a Agentes. Tínhamos a função de atender os nossos agentes por telefone e activar serviços tal como 2º via do cartão SIM, taxas de bloqueio, pin e puk.

Começava aqui o processo de segmentação do atendimento com a criação da linha 19197 exclusiva aos Agentes UNITEL.

Pouco tempo depois, começou a terceirização do serviço de atendimento ao telefone e a respectiva segmentação (geral, agentes, empresarial e dados).

Com novas reestruturações na empresa, e a criação da Direcção de Atendimento a Clientes, abracei novo desafio como Gestor da Secção de Gestão e Desenvolvimento de Projectos, cuja principal função era desenvolver projectos para a melhoria do atendimento no Call Center.

Em 2015, abracei outro desafio, desta vez na recém-criada Direcção de Agentes liderada por Luís Esteves, como Gestor da Secção de Distribuição e Controlo, Departamento de Suporte a Rede de Agentes com os gestores séniores Antonieta Gomes, Ricardo Cardoso e Alexandra Egipto.

A minha Secção é composta por 4 Colaboradores, sendo a nossa principal missão, assegurar o stock para que a Direcção possa atingir os objectivos de venda.

Um dos maiores reptos enquanto líder é motivar as pessoas para o crescimento, desenvolver o espírito de equipa, disciplina e rigor na execução das tarefas.

O meu percurso de vida passa pela UNITEL e é para mim motivo de muito orgulho fazer parte desta empresa.

A UNITEL é uma empresa promissora, pela forma como aposta e valoriza o seu capital humano.

A experiência adquirida nos últimos 20 anos, as várias formações, desafios, e projectos envolvido, têm um impacto muito forte na forma como encaro a vida e inclusive como defino os meus objectivos.

Apesar do tempo, trabalhar na UNITEL continua a ser desafiante, gratificante e motivador.

A possibilidade de lidar com pessoas dinâmicas, o pensar “fora da caixa”, o inovar, fazem também parte dos ensinamentos desta grande família que é a UNITEL.

Aqui fiz boas amizades, a quem aproveito para agradecer por todo suporte, (eles sabem quem são).

“O Ladislau é um colega perfeccionista, está sempre disponível a ajudar os outros e a abraçar os desafios que lhe são colocados”. Falar dele emociona-me sempre pois conhecemo-nos desde a infância e construímos uma boa amizade, Serafina Mingas, Técnica Sénior de Incidentes e Serviços Empresariais, contemporânea de Ladislau.

Agradecimento extensivo aos meus superiores hierárquicos, pela aposta e confiança depositada.

Às minhas equipas, obrigado pela colaboração e cumplicidade, nada seria possível sem o vosso contributo.

A todos os Colaboradores UNITEL, muito obrigado.

 

Ladislau Soares

Gestor de Distribuição e Controlo

Direcção de Agentes