Notícia

A Minha História na Unitel

Conhece Matilde Vaz da Conceição, Gestora de Canais Indirectos da UNITEL.

Em 2001 deixou a carreira de Assistente de Bordo e juntou-se ao leque de Colaboradores que inaugurou a empresa. Focada e sempre disposta a abraçar desafios, adquiriu ao longo dos anos a endurance que a tornou numa profissional de referência na sua área.

Considero-me uma pessoa sociável, estou sempre rodeada de muitos e bons amigos.

Já tive várias experiências profissionais, fui Andebolista, Modelo, Atriz e Bailarina. Mas na verdade o meu sonho era ser Assistente de Bordo e cheguei a concretizá-lo na Air Nacoia.

Após cerca de 1 ano, descobri que não era bem o que queria, apesar de gostar muito de viajar (risos). Foi assim que em Junho de 2001 decidi embarcar neste navio que é a UNITEL.

Comecei como Assistente na primeira Loja UNITEL, liderada pela Dra. Lorena Fernandes na altura Chefe de Loja.

Como qualquer empresa em crescimento, as oportunidades e desafios foram surgindo tempestivamente, tive a chance de participar na concepção dos processos e procedimentos da área de Agentes, tornando-me em Janeiro de 2003 na primeira mulher com a função de Delegada Comercial na UNITEL.

Sempre gostei muito de interagir com pessoas. Nesta função o meu desafio era angariar e gerir Agentes, ajudar a levar o nome da UNITEL para além de Luanda e aproximar os angolanos.

Este foi um período que considero rico e de muito aprendizado pois proporcionou-me momentos marcantes, desafiadores e divertidos que levarei para o resto da vida, tal como viajar por várias Províncias e conhecer diferentes culturas de Angola.

Como Delegada Comercial, fiz parte da equipa de avanço que negociava e montava as Lojas de Agentes para a inauguração do sinal.

Naquela altura, viajávamos em aviões militares de carga, alguns deles com muitos buracos que bastava levantar o voo, começava logo a pingar água, sentávamos por cima das caixas de mercadorias e ao lado de animais como cabritos, galinhas.

Apesar destes constrangimentos, foi uma fase de aprendizado onde tive a oportunidade de conhecer zonas que não imaginava que existissem em Angola.

Lembro-me quando numa época de chuva que como se sabe difícil de transitar nalgumas zonas, fiz uma visita à loja de um potencial Agente de recarga e produtos com os colegas Mariquinhas Guenji e João Passos. A loja ficava no interior de um dos bairros no distrito de Viana, com alguma dificuldade chegamos ao local e fizemos o trabalho.

De regresso ao escritório, começou a chover, entramos numa rua onde havia um charco de água e que à primeira vista não representava perigo. Decidimos passar pelo charco pois não havia outra opção, porém a meio do caminho começou a entrar água na viatura.

Foi um pânico geral, porque era água por todos os lados, com medo, decidimos sair do carro pela janela e ficamos por cima do tejadilho a pedir ajuda.

Ainda estávamos próximo da loja, o Agente apercebeu-se da situação, foi até ao local para ajudar-nos, levou enxada, pá, corda, botas e outros meios para tirar-nos da água, mas sem sucesso.

Como o povo angolano é solidário apareceram várias pessoas para ajudar, mas novamente sem êxito porque os carros não tinham potência suficiente para puxar o nosso que estava literalmente enterrado. Uma hora depois, apareceu um automobilista com um Toyota Land Cruiser que finalmente conseguiu rebocar-nos e aí conseguimos ter ânimo para rir da nossa figura e do que passamos.

Com o crescimento do leque de clientes empresariais, houve a necessidade de aumentar a equipa de Gestores de Clientes, foi assim que em 2010, fui convidada a fazer parte da então Direcção de Grandes Clientes (DGC), passei a desempenhar a função de Gestora de Clientes e o desafio de angariar e gerir uma carteira de clientes empresariais.

Seis anos depois, fui indicada para liderar uma equipa de 20 pessoas na Secção de Pequenas e Médias Empresas – PME, Departamento de Venda na mesma Direcção.

A nossa actividade prendia-se essencialmente em aumentar o parque de Clientes neste segmento, fazer contactos de vendas, pesquisa de mercado através da equipa Hunters (angariadores), além de criar carteiras de Clientes para cada KAM (Key Account Manager) – Gestores de Clientes que têm um papel importante na definição, desenvolvimento e retenção dos Clientes empresariais.

Em 2019 com a reestruturação da DGC, fui nomeada Gestora da Secção de Negócios à Pequenas e Médias Empresas e passei a gerir 31 Colaboradores.

O nosso foco principal era desenvolver o segmento, promover acções específicas de captação, retenção e fidelização de Clientes, além de assegurar elevados índices de satisfação.

Agora em 2021, após nova reestruturação, assumi a gestão da Secção de Gestão de Canais de Vendas Indirectas no Departamento de Inteligência do Negócio Empresarial, Direcção de Negócios Empresariais.

Lidero uma equipa de 17 pessoas. Temos uma vasta carteira de acções, desde a criação de processos e procedimentos, recrutamento, formação, e desenvolvimento do parceiro, como a optimização das operações comerciais e análise do desempenho dos canais.

Sou formada em Psicologia pelo Instituto Superior de Ciências da Educação-ISCED, pois sempre acreditei que o Psicólogo tem um papel fulcral na transformação da sociedade.

São 20 anos de crescimento, aprendizado e muitos desafios. Falar da UNITEL é falar de toda uma vida, de equipas de alto rendimento e da empresa que mais apostou na juventude em Angola.

Não posso deixar de mencionar algumas figuras que foram e continuam a ser pilares na minha trajectória UNITEL, falo da Lorena Fernandes, exemplo de liderança, do Engº Henriques da Silva que foi o meu mestre e tirou-me várias vezes da minha zona de conforto.

O Engº Safeca, nossa referência moral, com a sua calma e sabedoria, levou-nos sempre a bom porto. O Engº Mavungo, a quem chamo de “coração da UNITEL”, grande líder e nacionalista.

O Dr. Eduardo dos Santos, a quem chamo de pai, tem sempre uma palavra que nos obriga a consultar o dicionário (risos).

A Mariquinhas Guenji, minha colega, amiga e companheira de todos os tempos, ou como dizem alguns colegas “meu PUK” e por fim a saudosa D. Alcina a quem carinhosamente chamávamos de mãe. Uma Colaboradora exemplar sempre disponível para ajudar, era a primeira a chegar a empresa e a última a sair.

Agradeço a Deus, à minha família, a todas as chefias na UNITEL que contribuíram para o meu crescimento, aos colegas com quem aprendi imenso e partilho experiências e às equipas que me permitiram desenvolver o meu estilo de liderança.

À UNITEL só tenho a agradecer:  Muito obrigada!

A UNITEL é o futuro!